quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Da espera

Da angústia que se fez saudade, em meio a viração. 

Em frente ao novo, que de novo ninguém sabe o quanto, a inquietação da busca parece tão natural quanto o temor que me causa. Não se sabe ao certo onde vai terminar, embora os pensamentos de um bom desfecho, o acaso (não por descaso) se encarrega de cuidar.

E eu de tanto te querer, chego a criar asas em teus pés, para que mais longe de mim andes. 

Me desfaço em flor, em dor, em sol.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

E a cultura? E a pobreza?

        Estava eu, na minha difícil relação cotidiana com aquele eletrodoméstico que fica no centro da sala, sabe? Mas encontrei algo que muito me interessou.
        Em um dos canais estava passando um documentário chamado 'Barka', produzido pelo SESC. O documentário trazia retratos de Burkina Faso, país africano, um dos mais pobre do mundo, em dinheiro, mas muito rico em cultura, em alegria, em lições, e toda essa boniteza.

    Duas coisas. 


   Durante o documentário, um dos entrevistados que tem vários trabalhos de alfabetização de crianças e jovens, e dá exemplos de vivência em comunidade, visitou o Brasil, o Rio de Janeiro, e aos ver as favelas ao lado dos belos prédios concluiu: " É por causa dessa pobreza que eu prefiro ser pobre aqui do que na América Latina ou na Europa. ".  E ainda acrescentou, que essa pobreza (essa mesmo que a polícia combate com tanque de guerra), rouba (faz roubar), mata (faz matar), corrompe (faz corromper).


      Sem mais. 


     E a cultura? Ele falou de todos os  esforços para mantê-la viva. A juventude, que se encontrava em festa, em um festival de música, falava de política, de seus exemplos, ouviam suas músicas, apesar dessa globalização (alienação global ? ).
      
     E eu fiquei pensando na nossa cultura, na nossa juventude, no nosso Brasil.

domingo, 19 de dezembro de 2010

O ENEM e a inclusão Social: O começo de um longo caminho

      Eis que o cenário educacional nacional sofre uma forte mudança. Muitos alegaram ser para pior, outros tantos que a educação nas universidades será desqualificada, outros ainda alegaram o que chamaram de ‘incapacidade’ de muitos acompanharem o ritmo das instituições superiores. Mas de toda forma, a mudança se fez, os processos seletivos nas universidades federais do país, em sua maioria, passaram a ser através do Exame Nacional do Ensino Médio.
Obviamente não se pode negligenciar que o problema educacional no Brasil vem das bases, e se encontram desde a educação infantil, passando por toda educação básica. Mas de fato o novo método de ingresso nas universidades possibilitou que outro público ocupe os bancos universitários. Como muitos gostam de afirmar, o funil que restringe o ingresso nas instituições de ensino superior, com um vestibular extremamente seletivo e direcionado a uma classe social, foi ‘alargado’. Nesse novo momento pessoas de classe baixa, não todos ainda é claro, estão tendo esta oportunidade. 
Devemos lembrar sempre que essas mudanças não acabam com os problemas encontrados na base da formação dos indivíduos, mas de alguma forma como medida compensatória e imediata começa a haver outro horizonte para educação. Aos muitos que alegam que o ‘nível’ universitário diminuirá, ou que os novos ingressantes são incapazes de adentrar a esse ‘mundo’, provavelmente não passem de ‘vaidosos acadêmicos’ de mais alto grau, que se julgam em última instância melhores que os demais.
Ainda que se diga que nem todas as pessoas têm preparação suficiente para ingressar, nesse país o que determina condições dignas de sobrevivência para o povo, diferente de outros países, é a educação. E quando se priva pessoas de baixa renda a ingressarem no ensino superior está também lhes negando a oportunidade de uma vida digna. E continua-se cada vez mais a oprimir a massa da população, lhes dando a posição de subordinados que por direito não é de ninguém.
O processo teve início, a caminhada ainda é longa. Ainda é preciso rever, melhorar muita coisa na educação, mas é preciso começar e começar de alguma forma. E a universidade como espaço de todo o cidadão, como deveria ser, deve se reformular ao novo momento, os professores devem rever sua prática para acolher estes alunos, e não acabar excluindo-os de novo após um ou dois semestres. Aos acadêmicos a consciência de que este espaço é pra todos, afinal os impostos que sustentam as instituições são de todos. E ainda há quem se questione sobre a ‘qualidade’ dos profissionais que serão formados. O papel será dos professores em, sem negar as origens dos novos alunos, formá-los como todos. E cabe por fim questionarmos, o que são profissionais de qualidade? E de que valem máquinas que sirvam a esse sistema mecanicista, enquanto muitos ainda vivem em condições subumanas?

(Texto escrito para a disciplina de Didática do Ensino da Biologia I)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010



     Falta a cor, falta o sabor. Falta um pouco mais de luz, um pouco mais de nós. Falta sentir, falta tocar. Falta ser, falta acolher. Que não falta, não. A esperança, essa não. Se partir algo de tão grande se vai, acaba por ser inútil ficar, aqui. 
    Mas as pedras. Ah, as pedras! Mas as flores. Sim, as flores! Vamos ao caminho, com a música, com a dança, com a vida, mesmo que só, em alguns (muitos) instantes, só.

Lu Corrêa



quinta-feira, 21 de outubro de 2010



“ Sem tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em lugares onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte... Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: "as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos". Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.”


Rubem Alves

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A um amigo, a um companheiro, a um profeta (...)



É tão estranho
Os bons morrem jovens
Assim parece ser
Quando me lembro de você
Que acabou indo embora
Cedo demais


'Foi a forma que eu achei de te homenagear.' 
  Quem podia esperar que esse feriado pudesse terminar desse jeito. Com a perda de alguém tão importante. Talvez se quisesse dizer, as lágrimas logo viriam aos olhos e aquele nó na garganta impedisse alguma manifestação. Então resolvi escrever.
   A vida tem razões que nós desconhecemos, e justamente por essas razões essa pessoa especial cruzou meu caminho, fomos nos tornando próximos, partilhando a vida, partilhando momentos de alegria, mas principalmente partilhando um sonho. Um sonho que não é só nosso, um sonho que é maior que nós, mas que com certeza foi construído em boa parte na caminhada desse amigo.
   Certamente uma das pessoas mais sinceras, mais verdadeiras, mais fraternas, e mais corajosas que eu já conheci. Eu sempre lembro das vezes que me peguei espelhando nele, pra ser mais corajosa para 'gritar' e defender a vida e a nossa utopia, e mais amiga para se doar aos outros como ele se doou.
   Foi em pouco tempo, mas tempo vivido com a maior intensidade possível, sabendo se colocar da maneira certa na hora certa. Vinha me ensinando tantas coisas nos últimos tempos, me ajudando tanto que nem encontraria palavras pra agradecer. 
   Talvez seja por egoísmo nosso, sim por egoísmo. Mas como foi embora assim? Sem se despedir ... E justo agora que tinha se tornado pra mim tão fundamental nessa caminhada, cheia de espinhos que ferem, mas também muitas flores que alegram.
   Ele, em seu profetismo partilhou a Boa Nova com muitos, foi presença alegre, sempre com uma palavra de conforto, (afinal ' se a vida te vira as costas ... passa a mão na bunda dela' hehe), com uma piada, com um conselho seja ele pastoral ou pessoal. 
    Ainda o agradecimento em nome da Pastoral da Juventude da Diocese, por toda a ajuda no nosso último festival, que aconteceu há um mês atrás, e no lançamento diocesano da campanha nacional contra a violência e o extermínio de jovens. Nem sei por onde começar ou o que dizer, porque os dias que construímos, juntos, muito mesmo devemos a ele, porque essas foram batalhas que enfrentamos de mãos dadas.
    A saudade vai ficar, e ainda aperta a dor aqui dentro. Mas sei que está acompanhado do nosso Deus da Vida, do nosso Deus libertador, e de Nossa Mãe de Guadalupe. E que continuará sempre intercedendo por nós, para que tenhamos sempre mais força, fé e coragem de seguir em frente. E mesmo que não esteja mais aqui fisicamente, no coração sempre estará guardado, e porque comungamos dessa mesma utopia, é também por ti que agarro cada vez mais firme essa bandeira, da nossa causa, da causa do Reino.

' Meu amigo, companheiro, assessor, fique sempre na paz. E até uma próxima.'


Lembro das tardes que passamos juntos
Não é sempre mais eu sei
Que você está bem agora
Só que neste mundo
O verão acabou.

Cedo demais!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Entre livros e acordes





Entre livros e acordes
Assim está posto.
Buscando canções
Velhas canções
Versos ou rimas 
Que falem de vida
Que deixem ser
Viver e sonhar
Não pelo que está
Mas pelo que há de ser.



Luana Corrêa



quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Da fonte



' Camarada, viva a vida mais leve! '

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

No outro dia

É no outro dia que o sorriso vem aos lábios, e a alegria ao coração. A sensação de que vale a pena, e sempre irá valer. Afinal de que mais se faz o sonho, se não de vida. De vida, mais bonita, dessa boniteza que eu vejo estampada. É caminho que se trilha, às vezes na dor, em que uma lágrima ainda teima em cair. Mas é do outro lado, do lado cá, que se encontra a essência, dessa história que me constrói a cada dia. Sejam essas flores, sempre mais floridas a ponto de esconder as pedras e os espinhos. Me alegre sempre mais essa luta constante, se encha bem mais de alegria o meu peito.


'Me chamem para semear, mas não me esperem para colheita'

Luana Corrêa

terça-feira, 31 de agosto de 2010

' Juventude: muita reza, muita luta, muita festa, em marcha contra a violência'


Esse é um ano muito especial, pois estamos comemorando 25 anos desde o primeiro Dia Nacional da Juventude (DNJ). É tempo de festa e de alegria, tempo de celebrar a vida e a beleza da juventude, mas também tempo de avaliar a caminhada ao longo desses anos. O DNJ, junto com a Semana da Cidadania e a Semana do Estudante fazem parte das chamadas atividades permanentes da Pastoral da Juventude do Brasil (PJB).
         Com as comemorações do jubileu e o apoio do setor diocesano da juventude, na Diocese de Pelotas nos preparamos para o XVIII Festival de Música e Arte da Juventude. Este faz parte da história da Diocese, e também dos tantos DNJs que foram celebrados ao longo desses 18 festivais. O Dia Nacional da Juventude, sempre traz a tona em seus temas e lemas, assuntos que dizem respeito à vida da juventude, suas dificuldades, seus sonhos, suas lutas. E o mais importante, vem alertar toda a sociedade para esse debate.
         Este ano, não será diferente, “Juventude: muita reza, muita luta, muita festa, em marcha contra a violência”. É ano de mais uma vez glorificar a Deus pela vida de tantos jovens e tantas jovens, mas também buscar o debate acerca da violência quem vem tomando a cada dia a vida da juventude. A cada dia estes fatos estão mais presentes no nosso dia-a-dia, e é hora de darmos o nosso ‘chega’, hora de olharmos atentamente ajuventude que, em seus ‘gritos’ diários, pede socorro.

Por isso gurizada, não fiquem de fora dessa! Participem do18º Festival de musica e arte da Juventude, e valorize esse lindo espaço que é nosso, para celebrarmos a vida e compartilharmos de nossos sonhos, medos, e utopias..., através da arte. Junte seu grupo e faça uma música, uma peça de teatro, uma poesia, ou Foto Imagem. Convide @s amig@s, @s colegas, enfim, todas as juventudes e venha celebrar com a gente!
Agenda ai: dia 12 de setembro, a partir das 8h30 da manha, no ginásio do IF-Sul (CEFET) teremos um dia muito especial como diz o lema: com muita reza, muita luta, muita festa, em marcha contra a violência.
         Estaremos esperando por você, nessa grande dia!


MAIS INFORMAÇÕES: www.pjdiocesedepelotas.blogspot.com


                        
   * Texto retirado do blog da PJ da Diocese de Pelotas.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

' Que Deus é o meu Deus? '







 ' A espiritualidade religiosa tem a ver com Deus, está claro. Religião, de um modo ou outro, tem a ver com Deus. Ninguém pensa em religião sem pensar em Deus.
 O problema, o desafio, é saber de que Deus se trata? Dependendo de que Deus, minha espiritualidade será uma ou outra.

  Quer dizer que é possível ter Deus ou deuses diferentes? É possível, sim! E esse é o problema-raiz de nossa espiritualidade, de nossa religião, de nossa fé.
  Vocês nunca pensaram que talvez o Deus em que acreditam não é bem o Deus de Jesus? Pode ser um Deus meio fora do Evangelho; pode até ser um ídolo...!
   Se meu Deus é o deus do medo, não é o Deus de Jesus.
  Se meu Deus é o Deus distante, nas nuvens, longe da vida humana e da humana história, não é o Deus de Jesus.
  Se meu Deus é um Deus 'meu' (meu, para mim só, privado, sem compromisso social) não é o Deus de Jesus.
  Se meu Deus é Deus somente para os católicos, para os cristãos, e não é o Deus de todos os humanos e de todos os povos, não é o Deus de Jesus.
  Para viver a verdadeira espiritualidade cristã devemos, ante tudo, acreditar no Deus que Jesus mostrou com a sua vida, com a sua palavra, com a sua morte, com a sua Ressurreição. Acreditar n'Ele e viver pelo seu Espírito.
  Jesus é o rosto de Deus humanamente acessível. Seu jeito é o jeito de Deus. O que Deus quer é aquilo que Jesus quis e pelo que Ele lutou e morreu. 'Quem me vê, vê o meu Pai' (Jo 14, 9). Por Jesus sabemos quem, como é Deus!
 O Deus daqueles que vão à missa e batizam os filhos... mas abusam dos operários ou das empregadas ou não se comprometem com a mudança da sociedade, é o Deus de Jesus?
 Quando vocês não metem Deus no namoro, no trabalho, na festa, na política..., em que Deus estão acreditando?
   
   Deus é Deus sempre e em tudo ou não é Deus, minha gente!'



(D. Pedro Casaldáliga)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Nosso ano!



Partilhando a todos então que desde ontem, dia 12 de agosto (Dia Internacional da Juventude), estamos no Ano  Internacional da Juventude.

"A partir de 12 de agosto de 2010, a Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou o ano Internacional da Juventude, buscando impulsionar a participação plena e efetiva dos jovens em todos os aspectos da sociedade.
Essa decisão foi tomada pela Assembléia Geral da ONU em uma resolução que convoca governos, instituições, comunidades e indivíduos de todo o mundo para respaldar as atividades que serão desenvolvidas em nível local e internacional neste sentido. O tema do Ano Internacional da Juventude será ‘Diálogo e entendimento mútuo’ com a finalidade de promover a prática desses conceitos, os ideais de paz, respeito aos direitos humanos, às liberdades e à solidariedade. "

Partilha para que esse ano seja lembrado, e que a juventude se faça presente em seus diferentes espaços. Faça valer sua voz, sua força, seu jeito todo especial de viver. 


" Pois a juventude que sabe guardar,
Do amor e da vida não vai descuidar."



PORQUE NOS SOMOS JOVENS, PORQUE SONHAMOS, E ACREDITAMOS EM UM OUTRO MUNDO POSSÍVEL!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Final de tarde

De lugares diferentes
Diante de tantas folhas escritas
Na companhia de um mate amargo
Com doces lembranças de vidas bonitas

Correndo contra o tempo
Neste enorme mundo injusto
Carregando consigo os sonhos
De floridos encontros

Douglas Santos e Luana Corrêa

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Plebiscito Popular

   Mais uma partilha, dessas que vale a pena a gente saber. Está acontecendo uma Campanha Nacional Pelo Limite de Terra, de onde surge o Plebiscito Popular pelo Limite da Propriedade de Terra, que vai acontecer no próximo mês de setembro de 1 a 7.




" Em defesa da reforma agrária e da soberania territorial e alimentar. "

Mais informações no site: http://www.limitedaterra.org.br/



segunda-feira, 26 de julho de 2010

se encontra no simples (...)



Quero falar hoje, aqui registrar, a sensação gostosa que tive. Fui hoje aprender um pouco mais na sala de aula, queria compartilhar o gostinho de fazer algo que se gosta. E mais, algo que se descobriu há tão pouco tempo que se gosta. Que bom quando a gente se encontra no simples, quando nos sentimos bem por um instante, um olhar, uma fala. Matar a saudade, rever rostos, sorrisos, olhares.

Lugar que me acolhe com tanto carinho! Pessoas tão especiais (...)
Desses lugares que eu tanto falo por aqui, que me enchem de vida, de vontade, de uma alegria bem dentro do coração.

' Faz falta quando não vou lá! '




A alegria não chega apenas no encontro do achado, 
mas faz parte do processo da busca.
E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura,
 fora da boniteza e da alegria.

Paulo Freire



segunda-feira, 19 de julho de 2010

Romper (...)





Romper cada elo,
Cada elo que me sufoca
Que me impede o encontro.
Romper, cada elo
Que comprime e fere.
Romper cada elo 
Para enxergar manhãs de luz.
Romper cada elo,
a cada dia.
Romper (...)


Luana Corrêa

segunda-feira, 12 de julho de 2010



"Chorar por tudo que se perdeu, por tudo que apenas ameaçou e não chegou a ser, pelo que perdi de mim, pelo ontem morto, pelo hoje sujo, pelo amanhã que não existe, pelo muito que amei e não me amaram, pelo que tentei ser correto e não foram comigo. Meu coração sangra com uma dor que não consigo comunicar a ninguém, recuso todos os toques e ignoro todas tentativas de aproximação. Tenho vergonha de gritar que esta dor é só minha, de pedir que me deixem em paz e só com ela, como um cão com seu osso.
A única magia que existe é estarmos vivos e não entendermos nada disso. A única magia que existe é a nossa incompreensão"


(Caio Fernando Abreu)

quinta-feira, 1 de julho de 2010

me encantam tuas cores




No colorido, no doce da vida
Onde vou querer viver.
Onde vou querer pousar.
Tantas cores, tantos sabores
Que justificam cada amanhecer.
É de alegria, que transborda.

Ver as cores, tuas cores
Em cada olhar, sorriso.
Em cada voo, pouso, canto.
Vida colorida,
Que me enche de esperança.

E ainda esse canto colorido
Que trazes de lá,
Bem mais bonito.
Faz o céu se encher de cores.
E o coração se esquece
A bater tão intenso quanto o sol,
Que traz cores a essa tarde.

Vida colorida,
Que me enche de vida
Que me encanta a cada passo,
Olhar, sorriso, e me traz aquele abraço.


Luana Corrêa

domingo, 20 de junho de 2010

Na falta do sentimento verdadeiro


' a palavra satisfaz a garota,
o rapaz, e a paz que traz
tanto faz.

o valor é temporário,
o amor imaginário.'

TM



E nessa superficialidade constante que se vive, é que se apaixona tão fácil, e as palavras , poemas e juras de amor fluem como a o rio que transborda em época de cheia. A aproximação, em poucos dias, vira 'amor eterno'. E com a mesma insconstância que se fez, se esvai. Ah que falta faz o sentimento verdadeiro, que falta faz a entrega sincera, mas principalmente consciente.

Ah o amor, aquele velho companheiro, afinal em que estrada se perdeu? Onde as pessoas deixaram de se entregar de corpo e alma a outro alguém? Em que esquina, se perdeu a capacidade de conhecer os próprios sentimentos, o próprio coração? Onde pararam de compartilhar a vida sinceramente com outro alguém?


Mas eu não fico por aqui não, ainda insisto em percorrer esse mundão a procurar de olhares sinceros, de sentimentos verdadeiros, e da entrega completa. E às vezes sinto tão perto (...)


sexta-feira, 11 de junho de 2010

De onde vem a força


" Foi do meu lado que eu achei o que me fez assim tão diferente "


Da fonte, da vida que grita em cada canto, é de lá que vem a força. É lá onde eu vou, quando o corpo tá cansado. Onde eu vou quando preciso um pouco mais de alma, um pouco mais de mim.
De lá, todas essas implicações que a gente inventa, retornam à sua insignificância. É onde eu encontro os olhares mais sinceros, a gratidão mais profunda, e onde eu não preciso de nenhuma explicação.

Do puro, do amor, da vida.

Faz falta quando não vou lá!




sexta-feira, 28 de maio de 2010

' tão inquieta que até quieta '


E mesmo que as coisas ainda não estejam tal qual essa vontade, que não se acaba, me pede a todo dia e a toda hora, as coisas estão. Sim, as coisas estão! E pra falar bem a verdade, me convenço de que nunca serão tão plenas quanto desejo. Palavras do mestre, Paulo Freire, "somos seres inacabados". E ainda diz ele, que conscientes de que assim somos, podemos então ser transformados a cada dia e assim realizar a 'muda' desse entorno, tão maluco aos meus olhos - mas pelo qual desejo a minha vida ceder, sempre.


E as perguntas estão nas pequenas coisas, e as respostas tanto mais.
Fazem crescer o desejo de se entregar ao simples. E de sentir, tocar, ouvir, abraçar, sorrir, rezar, brincar; muito além da idéia fixa de racionalizar o 'não-racionalizável'.

É dessa paz inquieta, que de tão inquieta que é, aquieta.




domingo, 16 de maio de 2010

" mas o plano ainda é me tornar uma pessoa altamente especializada num assunto que não tem a MENOR relevância para a humanidade. " (ironia)


gostei disso.
esse mundo da biologia, viu? tô sozinha, não.

(muitos risos)

sábado, 10 de abril de 2010

De agora,
Coisas tão fora do lugar.
Aqui dentro,
Aí fora.

É preso, enquanto luta
Para saltar, aliviar.
Aperta, machuca.
Ah, vontade de gritar!

Passe logo,
O sol deve ali apontar.
E deixe a alma enfim,
Calma!
.

Luana Corrêa

sábado, 3 de abril de 2010

- a vida e seus eternos desencontros -




Só gostei do tal escrito (...)

“ E agora que eu tenho certeza que você não é aquele, eu me descubro não me importando nada pra tudo isso.
Porque você não é perfeito, mas o homem idealizado não tem seu mau humor repentino que eu gosto tanto e que vez ou outra também me deixa com ele.
O mala do cara dos sonhos não tem o desenho da sua boca.
O homem perfeito é um puta de um chato com seus cds cults e cartazes de filmes europeus pela sala.
Você com aquele seu vinil sertanejo é muito mais divertido, porque você me faz rir quando fecha seus olhos e canta, tocando seu violão imaginário.
Porque o homem perfeito é cheio de estripulias sexuais, mas eu detesto estripulias e adoro nosso jeito intenso de fazer amor cheio de inconformismos com a intensidade.
Eu sonhei sim com esse cara, que me levaria tomar sopas quentinhas em lugares com jazz e olharia para mim a noite toda achando que maior diversão no mundo não poderia haver.
Mas você com esse seu jeito só seu, de não me permitir saber o que esperar de você, me faz te odiar tanto e querer tanto a sua atenção. E me faz querer tanto você daqui a pouco, porque você não enjoa. Você me cansa demais mas não enjoa.
E quando você me cansa eu enfio a minha cabeça no seu peito e peço a Deus para que eu nunca desista de te odiar tanto assim, porque não pode existir ódio mais cheio de borboletas, notas musicais e passarinhos azuis.
Eu quero sim te matar, porque você tem uma mania surda de responder todas as minhas perguntas com um “ãhhh?” enjoado, e eu quero te socar porque você já descobriu tudo o que me irrita e gosta de me ver assim. Mas quando qualquer outra coisa no mundo me irrita, eu lembro que eu tenho você pra me fazer sentir essa raiva sua de sitcom inteligente.
Não somos uma dupla melada, mas duvido que tenha alguém que duvide do que sinto por você. Quer dizer, você dúvida as vezes, mas como eu, nessas horas você também é louco. E o homem perfeito teria a maior paciência do mundo em me curar dessa loucura e você tem a maior paciência do mundo em aumentar a minha loucura, desde que ela seja sensata.
Mas eu preciso da minha loucura para continuar sendo eu e eu com você, que pode um dia quer largar tudo para morar no sertão.
Sua cara de despretensioso para a vida, enquanto eu coleciono rugas, berros e inchaços. A sua cara de que “não é comigo” vai muito bem com a minha máscara da agressividade que acredita que tudo é comigo.
Nossa dança num baile de máscaras é eterna, porque quando eu peso a mão, você me faz voar. E quando você perde o chão, eu te dou um soco na cabeça pra ver se achato a sua alegria pra caber minha.
E você cabe de sobra na minha intensidade e acaba que a minha neurose fria é o quentinho do seu lado.
E o homem perfeito tem um beijo profundo e ritmado, que de tão melado me deixa saciada de um jeito que encerra o meu desejo. E você tem um jeito caótico, um beijo cheio de surpresas, que faz eu te sentir dentro de mim só de você encostar sua boca na minha. E eu nunca me dou por satisfeita e acabo achando que a gente ainda nem deu o nosso primeiro beijo, o que me causa uma ansiedade de paixão inicial que não deixa o peito relaxar.
E o homem das minhas ilusões me deixaria relaxar numa enorme cama amorosa e acordaria inúmeras vezes para me ver dormir abraçada a toda a certeza que ele me daria com apenas um segundo de olhar. Mas você não, nós dois dormindo deve parecer uma coreografia durante a noite, deita de bruços, abraça o travesseiro, mexe as pernas, procura o gelado da cama, depois vira um pouco de lado e eu acordo achando que ainda tenho muita coisa pra te falar, ainda confusa com meus pensamentos, mas é só você sorrir e pronto, não vai ter sorriso maior que você arrancaria de mim.
É cansativo viver sem vírgulas e só coloco vírgulas teatrais para você não enjoar de mim.Te amar não é fácil, é quase o anti-amor. É muito quase como se você nem existisse, porque só o homem perfeito mereceria tanto sentimento.
E fazendo isso, eu só consigo te querer mais ainda. Porque você enterrou meu sonho aprisionado pela perfeição e me libertou para vivê-lo.
E a gente vai por aí, se completando assim meio torto mesmo. E Deus escrevendo certo pelas nossas linhas que se não fossem tão tortas, não teriam se cruzado.”

(Tati Bernardi)

quinta-feira, 18 de março de 2010

Campanha Brasileira do Laço Branco


Sem querer,
Esbarrei com o site da campanha: Campanha Brasileira do Laço branco.
Nunca tinha ouvido falar. Achei muito, muito legal a iniciativa.

Mobilização dos homens contra a violência contra mulher.
Deveria partilhar (...)

http://www.lacobranco.org.br/


Beijos, abraços ...



- E hoje?


'Me tá subindo uma coragem
levantar minha bandeira
de tão simples tecelagem
longe indústria brasileira
o herói, o marginal
o poeta tropical
quem dera eu pobre leão
fazer parte da nação'
.
Mallu Magalhães

quinta-feira, 11 de março de 2010

' (...) as pedras falarão '


Não podia ser outra música, outro pensamento, no momento, nesse dia.


Se é pra ir a luta, eu vou
Se é pra tá presente, eu tô
Pois na vida da gente o que vale é o amor.
.
É que a gente junto vai
Reacender estrelas vai
Replantar nosso sonho em cada coração
Enquanto não chegar o dia
Enquanto persiste a agonia
A gente ensaia o baião
Lauê, lauê, lauê, lauê

É que a gente junto vai
Reabrindo caminhos vai
Alargando a avenida pra festa geral
Enquanto não chega a vitória
A gente refaz a história
Pro que há de ser afinal
Lauê, lauê, lauê, lauê

É que a gente junto vai
Vai pra rua de novo, vai
Levantar a bandeira do sonho maior
Enquanto eles mandam, não importa
A gente vai abrindo a porta
Quem vai rir depois, ri melhor
Lauê, lauê, lauê, lauê

Esse amor tão bonito vai
Vai gerar nova vida vai
Cicatrizar feridas, fecundar a paz.
Enquanto governa a maldade
A gente canta a liberdade
O amor não se rende jamais.

(...)
O AMOR NÃO SE RENDE JAMAIS!



O que vale é o amor - Zé Vicente


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Minha indignação, e por que não a minha dor (?)

' Porque é mais belo o risco
Ao lado da esperança,
Que a certeza ao lado de
Um universo frio e sem sentido.'

Rubens Alves

...
As palavras aí em cima, dizem muito, de mim. Partilha cheia de tristeza, revolta e indiganação.
As pessoas, das quais mais se espera nessa sociedade cheia de tradições e modelos, são justamente as que mais nos decepcionam.
Deveriam ser modelos, de amor, de pessoas (...) se mostram sujos, nojentos, traiçoeiros.

A eles:

- Continuem sim tendo medo da juventude que não se cala às coisas erradas que vê. Da juventude que quer viver uma Igreja libertadora, uma sociedade mais digna. Da juventude que não cala vendo a desigualdade que tá estampada na cara de todos, todo o dia. Da juventude que não se cala à DESUMANIDADE em que vivemos! -





(...)

O Universo frio e sem sentido de vocês? Eu rejeito.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Economia e Vida


Nessa quarta-feira, iniciou um tempo importante para Igreja Católica, o tempo de Quaresma; e junto o lançamento da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2010, que traz o tema: Economia e Vida; e o lema: 'Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro'.
Estou lendo o texto que baseia a campanha, e achei que deveria compartilhar a minha inquietude, e a minha vontade de que essa campanha seja vivida verdadeiramente.
É o momento, ou passamos por ele, mas o fato é que o sistema econômico vigente chega ao seu limite, chega a um período que não pode mais se sustentar.
Ainda esses dias ouvia uma frase que pra mim pareceu bem adequada: 'O capitalismo dá o tiro no seu próprio pé', e é verdade. Uma economia centrada somente no lucro, que não leva em consideração a pessoa humana, a natureza de onde tudo brota, a vida, e que explora constantemente os recursos na inocência de que são ilimitados,logo ali chegaria ao seu limite.
Muitos são os dados revoltantes!
Um deles: os governos investiram 18 trilhões de dólares para socorrer bancos e empresas durante a crise econômica, enquanto em 49 anos a ajuda aos países em desenvolvimento foi de 2 trilhões. E enquanto isso, o número de pessoas que passam FOME no mundo, atingiu 1 bilhão.

Por isso, BASTA!
Lutemos por uma economia justa, solidária, onde a vida esteja no centro das relações!
Que não tenhamos medo, de dizer com toda a força, SIM a toda a iniciativa que vise a construção de um outro mundo possível, e
NÃO a toda forma de opressão, de morte, de exploração.


E às comunidades fica o apelo (...)

"Como podem ser testemunhas do Evangelho de Jesus comunidades formadas por pessoas que desistiram de lutar para que o amor e a solidariedade fermentem e transformem as relações econômicas que geram injustiça?"





Lu Corrêa

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

CHEGA!




E mais um, dois, três ... quantos?
Contagem cruel.
São sonhos, são esperanças, são sorrisos, são alegria (...)
São JOVENS, são VIDAS!
E partem a cada dia que passa.
.
Dói?
Deve doer e muito.
Deve incomodar e muito.
Deve desestabilizar e muito.
.
Lu Corrêa
.


'CHEGA DE VIOLÊNCIA E EXTERMÍNIO DE JOVENS.'
- A juventude tem consciência e as PJ's dizem NÃO à violência -